segunda-feira, 28 de março de 2011

Assobio Diário

E lá num fundo vai ele. Cansado e cabisbaixo assobia uma melodia inaudível. Guarda nos bolsos os acontecimentos. Os bons e os maus.

-Oh dia, vai devagar que amanhã és outro.

E será. Adormece com a escuridão assim como eu. E acorda com a luz assim como eu.

-Oh dia, vem que hoje és outro.

Vem sempre descontraído e sem planos. O que acontecer acontece. Ele quer lá saber. Vai pontapeando pedras que rolam e saltam sobre o asfalto. Vai gritando aos ouvidos de janelas que devagar destapam o cobertor da noite e abraçam o frio gélido da manhã. Nevoso. Chuvoso.

-Oh dia, amanhã és outro?

-Sou sim. Mas para ti não.

1 comentário:

  1. Este senhor escreve umas coisas (tenho de me actualizar por aqui!) *

    ResponderEliminar