sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Confuso.

São muitos os ouvidos que me olham.
A minha boca abre e são muitos os ouvidos que me olham.
Sou eu que penso que me olham.
Os ouvidos que me olham julgam-me.
São nenhuns os passos que dou sem os ouvidos que me olham.
Um dia calo-me e espero pelos muitos ouvidos que me olham.

5 comentários:

  1. Se és tu que pensas que eles te olham então poderás ficar eternamente à espera.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo,

    A ausência de som irá resultar no fim da espera pois acabarão os ouvidos que me olham.

    ResponderEliminar
  3. O que é que lhes acontece?

    ResponderEliminar